02/12/2022

Vigilância Sanitária faz vistoria em casa de repouso no Boa Vista

Vigilância Sanitária faz vistoria em casa de repouso no Boa Vista

Fiscalização ocorreu após um pedido do Ministério Público com o objetivo de averiguar a situação dos idosos internados no local

A Vigilância Sanitária de Suzano realizou na manhã desta sexta-feira (02/12) vistoria em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI), no bairro Cidade Boa Vista, para realizar um relatório a pedido do Ministério Público (MP). O objetivo da ação é fornecer dados ao órgão sobre como estão sendo tratados os internados do local.

A situação dessa casa de repouso está irregular em relação à documentação e passa por um processo de fechamento na Justiça, em razão disso houve o pedido desse documento para a Vigilância Sanitária de Suzano. “Fomos até lá para verificar como as pessoas estão sendo cuidadas. Neste caso não houve qualquer problema de maus-tratos ou condições inadequadas contra os idosos. O problema mesmo é a documentação”, destacou o diretor da Vigilância Sanitária, Mauro Vaz.

Ele ainda destacou que o órgão municipal promove fiscalização em toda a cidade em instituições dessa natureza para se certificar da documentação e da situação do público atendido. “Nós sempre fazemos vistorias para saber como estão as entidades e os hóspedes, principalmente em relação aos serviços prestados e a documentação para o funcionamento”.

Para evitar que locais irregulares possam funcionar, o diretor da Vigilância Sanitária e o secretário municipal de Desenvolvimento e Assistência Social, Geraldo Garippo, se reuniram na última terça-feira (29/11) com representantes de imobiliárias vinculadas à Associação dos Corretores de Imóveis de Suzano (Acoris), a fim de buscar meios de combater a instalação de ILPIs e de demais estabelecimentos terapêuticos irregulares em imóveis alugados.

Por vezes, a imobiliária não tem conhecimento do uso do imóvel e acaba fazendo a locação para uma clínica clandestina. Assim, criar um meio de fechar negócio somente com entidades regulares evitaria problemas futuros. “Estamos executando esse projeto para não trabalhar somente com a denúncia, mas atingir o começo da situação, que é a instalação da clínica. Essa reunião foi o primeiro passo para colocar isso em prática e orientar os proprietários de imobiliárias sobre o fato de que alguns imóveis estão sendo alugados para essa finalidade”, apontou Mauro Vaz na ocasião.