25/11/2017

Suzano terá Dia de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência Contra as Mulheres

Suzano terá Dia de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência Contra as Mulheres

Lançamento será realizado pela administração municipal em 6 de dezembro; iniciativa fará parte da campanha ‘Laço Branco’

A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social de Suzano, em parceria com outras pastas municipais, realizará em 6 de dezembro (quarta-feira) um evento para divulgação do Dia de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência Contra as Mulheres e da campanha “Laço Branco”. O evento será realizado na sede do Suzano Futebol Clube, o Suzaninho (rua Nove de Julho, 722, no centro).

Com início previsto para as 13 horas, a solenidade contará com a presença de autoridades do Poder Público e da sociedade civil organizada. Além do prefeito Rodrigo Ashiuchi e de membros do secretariado municipal (entre eles o chefe da pasta de Assistência e Desenvolvimento Social, Fátimo Aparecido Rodrigues), foram convidados juízes, promotores, representantes da subseção local da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Câmara e de entidades.

A cerimônia contará com a palestra do psicólogo e sociólogo Flávio Urra, que também coordena o programa “E agora, José”, dedicado a medidas socioeducativas de homens autuados por meio da Lei Maria da Penha na região do ABC Paulista. A apresentação trará o compartilhamento de experiências e de ideias voltadas para o fim da cultura da violência contra a mulher.

A solenidade também marcará o compromisso da administração municipal em aprovar e ratificar o projeto de lei que instituirá a data no calendário de eventos do município, possibilitando a realização de eventos em larga escala.

Para o prefeito de Suzano, o evento é importante para divulgar uma causa importante para a comunidade.

A data remete ao massacre ocorrido na cidade de Montreal, no Canadá, em 1989, quando Marc Lepine abriu fogo contra 14 mulheres que estudavam engenharia na universidade local, por ser contra a presença feminina em um curso tradicionalmente masculino. Desde então, foram realizadas ações de combate a esse tipo de violência e, em 2007, uma lei federal instituiu a data no calendário nacional.