14/09/2021

Suzano participa do 2º Fórum Internacional de Educação do Alto Tietê

Suzano participa do 2º Fórum Internacional de Educação do Alto Tietê

Secretário de Educação participou da primeira sessão do evento, que debateu os desafios do ensino durante a pandemia

A Prefeitura de Suzano participou da sessão de abertura do 2º Fórum Internacional de Educação dos Municípios do Alto Tietê. A nova edição do evento virtual é voltada para os anos iniciais do Ensino Fundamental, com foco nos desafios e perspectivas enfrentados na educação das crianças em tempos de pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A terceira sessão vai ao ar nesta quinta-feira (16/09), às 19 horas, e será aberta ao público (www.youtube.com/c/forumeducacaoaltotiete).

A abertura oficial do fórum contou com pronunciamento do chefe do Executivo suzanense, Rodrigo Ashiuchi, que destacou a importância das discussões acerca da Educação para garantir o pleno desenvolvimento das crianças. Após a apresentação, os presentes receberam a professora de psicologia da Universidade do Minho (Portugal), Fernanda Leopoldina, e a professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Magda Soares, para debater sobre a atuação do setor diante dos novos desafios.

Com mediação do sociólogo e consultor educacional Cesar Cellegari, a palestra ainda contou com a participação do secretário de Educação de Suzano, Leandro Bassini; da educadora da rede municipal de ensino, Karina Azevedo; da titular da Educação de Ferraz de Vasconcelos, Adriane Galo; e do professor do município vizinho, Carlos Henrique.

Na ocasião, as convidadas comentaram sobre suas experiências profissionais durante o último ano. Fernanda apresentou o contexto educacional de Portugal, explicando sobre como eles trabalharam para assegurar os direitos das crianças de continuarem a aprender durante o isolamento social. A especialista apontou ainda que esta reinvenção da prática do ensino dependeu muito da inclusão de recursos tecnológicos ao cotidiano escolar, o que dificultou a adaptação de alguns locais do país e do mundo.

Já a professora Magda comentou sobre o que vem a seguir para a Educação no Brasil em um contexto pós-pandemia da Covid-19. Segundo ela, a crise sanitária agravou as desigualdades sociais e impôs grandes desafios aos educadores, portanto se faz necessário que os municípios se posicionem diante desta situação, reconheçam as dificuldades enfrentadas pelos alunos e profissionais, adaptando a cultura escolar para acolher a todos.

O fórum é promovido pelo Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) e reúne autoridades do ensino de várias cidades e países para discutir a respeito do panorama atual da educação. As lives são voltadas para mais de sete mil profissionais das 12 cidades que compõem o Condemat, entre professores, coordenadores pedagógicos, diretores e técnicos das secretarias municipais. Para garantir o acesso de todos à formação, os encontros contam com tradução simultânea em Língua Brasileira de Sinais (Libras).

O titular da Educação suzanense, Leandro Bassini, parabenizou a todos os organizadores e envolvidos pela iniciativa, que foi muito bem sucedida em 2020 e agora segue em seu segundo ano de atividades. Ele conta que o fórum permite o compartilhamento das experiências de sucesso dos municípios do Alto Tietê, refletindo sobre o que está acontecendo e o que é possível fazer de diferente para alcançar um padrão de excelência na educação regional. Bassini concluiu ressaltando que os encontros demonstram o quanto as cidades podem fazer juntas, além de estimular profissionais e gestores municipais a pensarem em novas abordagens para garantir o pleno acesso de todas as crianças ao ensino de qualidade.

A iniciativa segue com atividades durante todas as quintas-feiras de setembro, das 19 às 21 horas. Cada cidade da região participa de uma sessão, que tem a participação de convidados nacionais e internacionais. A ação conta com apoio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco); da União dos Dirigentes Municipais de Educação de São Paulo (Undime); da Fundação Itaú Social; da Fundação Santillana; da Fundação SM; da Oficina Municipal; e do Instituto Brasileiro de Sociologia Aplicada (IBSA).