13/06/2022

Seminário no Teatro Dr. Armando de Ré debate o enfrentamento ao trabalho infantil

Seminário no Teatro Dr. Armando de Ré debate o enfrentamento ao trabalho infantil

Evento desta segunda-feira contou com a participação do prefeito Rodrigo Ashiuchi e dos secretários Geraldo Garippo e Leandro Bassini

A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social de Suzano e a Associação Reduca realizaram nesta segunda-feira (13/06) um seminário de trabalho infantil com o tema “Diagnósticos e Ações Estratégicas para Enfrentamento do Trabalho Infantil”. O evento ocorreu no Teatro Municipal Dr. Armando de Ré, localizado na rua General Francisco Glicério, 1.354, no centro, entre as 9 e 13 horas, e contou com a participação de cerca de 60 pessoas. Por sua vez, o tema do seminário também é um projeto que está em andamento, com duração prevista para 12 meses, e fará um mapeamento no município. O evento é parte do Programa de Enfretamento do Trabalho Infantil (Peti).

A iniciativa busca criar e ampliar as políticas públicas que tirem as crianças desta situação e possam proporcionar uma infância e um crescimento saudável em Suzano. “Nós queremos trocar informações e utilizar isso para motivar a sociedade suzanense em prol do enfretamento do trabalho infantil. Acreditamos que há espaço para que esse combate possa aumentar e com esse projeto, que está na metade, vamos fazer o diagnóstico do cenário municipal. Depois disso, o município precisará traçar ações para a erradicação de fato”, informou a palestrante e coordenadora do projeto, Etelma Souza.

A iniciativa, além de buscar erradicar o trabalho infantil em Suzano, tem como objetivo garantir os direitos básicos da criança e do adolescente. “Eles têm direitos fundamentais como acesso à cultura, esporte e lazer. E que essas crianças que hoje estão em faróis e nas ruas, possam conseguir tudo isso”, completou a coordenadora.

O secretário municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Geraldo Garippo, comentou os esforços para tornar a erradicação do trabalho uma realidade. “Isso é para que a gente possa identificar onde este público está e, além deste diagnóstico, providenciar oficinas para formação cultural, fortalecimento para inserção cultural e, também, fazer um processo de sensibilização da sociedade, para que ela também entenda que tem um papel fundamental nesta mudança”.

Um dos pontos destacados pelo seminário, e consequentemente pelo projeto, é o destino que as crianças e adolescentes possam ter. “Esse indivíduo que está no trabalho pode ter o futuro comprometido e pode deixar de estudar e pode ser cooptado pelo tráfico, e termos que estar sempre lutando para que a criança e o adolescente estejam sempre estudando e no lazer”, inteirou Garippo.

Manter este público brincando e estudando já é uma luta que ocorre há três séculos, com a criação do Estatuto da Criança e Adolescente (ECA), mas que precisa sempre ser reforçado. “Essa é uma luta que ocorre desde os anos 1980 e, colocando isso em prática, teríamos uma revolução no Brasil. Resguardar os direitos das crianças é garantir os direitos que ela tem à aprendizagem e à escola. Essa é a importância desse seminário porque todas as vezes que o país vive uma crise, temos a evasão das crianças da escola para trabalharem”, destacou o secretário de Educação, Leandro Bassini.

Para o prefeito Rodrigo Ashiuchi, além dos estudos, as crianças devem estar com a família, e este também é um dos objetivos do seminário apresentado nesta segunda-feira e do projeto. “É um trabalho conjunto de várias secretarias e nosso objetivo é fazer com que as crianças e os adolescentes estejam em nossas oficinas, seja na cultura, esporte ou parte social, para que a gente possa acabar de vez com o trabalho infantil, além de garantir que eles possam estar com as famílias em seu desenvolvimento pleno”, finalizou.

Também estiveram presentes no evento a vice-presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdicas), Jaqueline Mendes; a presidente do Reduca, Rozenaide RIbeiro; a diretora da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social e do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), Regiane Borges Marques Macedo; a conselheira tutelar Arlete Pacheco; e o diretor do Sistema Único de Assistência Social (Suas) e da pasta de Assistência Social, Carlos Alberto Santiago de Araújo. Jovens do Instituto Amar Holiness realizaram uma apresentação de street dance antes do início do seminário.