22/09/2022

Audiência pública reúne moradores para discutir criação de parque municipal do Sesc

Audiência pública reúne moradores para discutir criação de parque municipal do Sesc

Unidade de conservação em que será erguido o novo ponto de lazer possui 124 hectares

‌A Secretaria de Meio Ambiente de Suzano realizou na última quarta-feira (21/09), Dia da Árvore, uma audiência pública para discutir que tipo de unidade de conservação municipal será criada para o futuro Parque Mirante do Sesc. O evento, que faz parte do ritual de criação da unidade para deixar todo processo transparente à população, ocorreu na Escola Municipal Waldemar Calil, no bairro Cidade Boa Vista, justamente próximo a área que se tornará o parque da região, beneficiando aproximadamente 85 mil pessoas.

A unidade de conservação em que será erguido o novo ponto de lazer possui 124 hectares, o equivalente a 174 campos de futebol, compreende parte do bairro do Sesc e a Várzea do Rio Tietê estará enquadrado dentro da legislação do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (Snuc). Após a criação da unidade de conservação, será escolhido um conselho gestor e um plano de manejo para o local.

Com início marcado para as 18 horas, a audiência pública contou com mais de 40 pessoas que opinaram e forneceram sugestões para a criação da unidade e a expectativa é que no espaço seja criado um parque natural. “É um anseio da nossa população em ter esse espaço para que seja criado um parque natural municipal. Dessa forma ele poderá ser usado para turismo, esporte e, é claro, para ter áreas de conservação e locais para pesquisa”, apontou a diretora da pasta do Meio Ambiente, Solange Wuo, que esteve à frente da audiência pública. Estruturas como pistas de caminhada ou para bicicletas ainda serão discutidas.

Após a audiência, Solange elogiou a participação do público. “Foi muito boa a participação da população. Esclarecemos os questionamentos e recebemos muitas contribuições principalmente do histórico da região do Sesc.

A criação de uma unidade de conservação já estava prevista no Plano Diretor da Prefeitura de 2017, por meio da Lei Complementar 312, criando a Zona Especial de Interesse Ambiental e agora está em vias de sair do papel para beneficiar a população do bairro. Um dos símbolos do local, a antiga caixa d’água que abastecia as casas da região em meados do século passado e que ficou conhecida como “Pirâmide do Sesc” será mantida, mas não será utilizada para o uso original. “Um laudo técnico atestou que ela não tem mais possibilidade de ser utilizada, mas ela vai passar por uma reforma para continuar sendo um símbolo para os moradores do bairro”.

Ao final da audiência pública, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente foi homenageada pelo Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) do Boa Vista com uma medalha de reconhecimento e dedicação pelos trabalhos realizados para a consolidação da criação do parque.