12/09/2019

Vigilância Sanitária capacita membros de instituições para idosos de Suzano

Vigilância Sanitária capacita membros de instituições para idosos de Suzano

Encontro promovido pelo Comid teve o objetivo de esclarecer sobre a legislação que normatiza o funcionamento dessas entidades

A Diretoria de Vigilância Sanitária de Suzano realizou na manhã desta quinta-feira (12/09) uma capacitação para representantes de 17 Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) da cidade. A atividade foi realizada nas dependências do Complexo Educacional Mirambava e contou com a participação de cerca de 50 pessoas. Trata-se de uma iniciativa do Conselho Municipal dos Direitos do Idoso (Comid), com apoio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) e do Centro de Convivência da Melhor Idade Maria Picoletti (CCMI).

Os técnicos do setor abordaram sobre a Resolução de Diretoria Colegiada (RDC) nº 283/2005, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que apresenta o regulamento técnico que normatiza o funcionamento das ILPIs. “Nosso objetivo com a capacitação é levar informações imprescindíveis aos responsáveis por essas entidades em Suzano, de forma que tenham um padrão a seguir e possam se adequar à legislação e se fortalecer”, explicou a presidente do Comid, Adriana Monteiro dos Santos.

De acordo com ela, cada uma das ILPIs registradas na cidade tem capacidade para acolher no máximo 20 idosos. Os atendidos não apenas desenvolvem atividades como também residem nesses locais. Adriana também explicou que esta foi a primeira capacitação prática promovida pelo Comid, que vem sendo retomado desde 2018, depois de anos em inatividade, e que foi importante para contribuir para a formação dos conselheiros e de integrantes da SMADS e do CCMI.

O diretor de Vigilância Sanitária de Suzano, Mauro Vaz, participou da abertura do encontro desta quinta-feira no Mirambava e classificou como uma parceria fundamental, tanto para transmitir informações indispensáveis como para aproximar o setor das entidades. Ele explicou que, desta forma, será possível garantir bom atendimento e acolhimento adequado aos idosos atendidos na cidade. Além disso, também são consideradas relevantes iniciativas assim porque ajudam a mudar a maneira como a Vigilância Sanitária é encarada pela população. Não é vilã, mas sim parceira, que orienta e estimula a prevenção.