12/12/2018

Suzano ganha Residência Terapêutica voltada à Saúde Mental

Suzano ganha Residência Terapêutica voltada à Saúde Mental

Local tem o objetivo de devolver o convívio em sociedade e oferecer mais autonomia aos indivíduos que estavam internados em hospitais psiquiátricos

Dez homens e mulheres com quadro de saúde mental que estavam internados em hospitais psiquiátricos por longos períodos vão passar a viver em uma Residência Terapêutica, em Suzano. De responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde, o local tem o objetivo de devolver o convívio em sociedade e oferecer mais autonomia aos indivíduos.

A unidade vai atuar no processo de desinstitucionalização de pessoas que estiveram internadas em hospitais psiquiátricas e foram excluídas do convívio em sociedade por períodos que variam de 10 a 50 anos, onde sofreram com tratamentos inadequados, abandono, negligência ou maus tratos.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Luis Cláudio Rocha Guillaumon, na primeira etapa, foram admitidos três moradores de Suzano, sendo dois homens e uma mulher. Nas próximas semanas, o local vai receber novos residentes, que, inclusive, podem ser de outras cidades do Alto Tietê.

O prédio, que está localizado na região central da cidade, recebeu recursos no valor de R$20 mil, disponibilizados pelo Governo Estadual e pelo Ministério da Saúde, para recuperação e adequação do local e aquisição de mobília e acomodações. Já o aluguel, no valor de R$4 mil, será de responsabilidade do Consórcio de Desenvolvimento do Municípios do Alto Tietê (Condemat) e os profissionais de Saúde serão disponibilizados pela Prefeitura de Suzano.

O titular da pasta reforçou também que os novos moradores da residência terão à disposição cuidadores, que atuarão de acordo com o projeto terapêutico individual já realizado pelo Centro de Atenção Psicossocial (Caps).

Segundo a coordenadora de Saúde Mental de Suzano, a psicóloga Dulce Ramos, a Residência Terapêutica passa a ser a última etapa de toda a estrutura de saúde mental no município, onde são oferecidos quatros Centros de Atenção Psicossocial – dois para adultos, um infanto-juvenil e um para tratamento de álcool e drogas –, um “Consultório de Rua” voltado à população em situação de rua e dez Unidades Básicas de Saúde (UBS) que contam com equipes psicossociais.