24/03/2020

GCM sai às ruas para fiscalizar fechamento de estabelecimentos não essenciais

GCM sai às ruas para fiscalizar fechamento de estabelecimentos não essenciais

Objetivo é orientar comerciantes e prestadores de serviços que ainda estão atuando a suspenderem as atividades durante a quarentena

Como forma de fazer cumprir os recentes decretos emitidos pela Prefeitura de Suzano, as recomendações do Ministério Público e o período de 14 dias de quarentena determinado pelo governo do Estado contra o novo coronavírus (Covid-19), a Guarda Civil Municipal (GCM) iniciou nesta segunda-feira (24/03) uma fiscalização especial em todas as regiões da cidade. O foco principal está nos estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços que não são considerados essenciais, de forma a orientar funcionários e proprietários a suspenderem as atividades e baixarem as portas.

Mais de 30 agentes foram para as ruas. Logo pela manhã eles se organizaram em seis equipes, com uma base móvel e cinco viaturas, sendo duas em cada um dos três setores em que a cidade foi dividida. Eles atuarão constantemente, 24 horas por dia, enquanto durarem a quarentena e os efeitos dos decretos municipais 9.432, 9.437 e 9.439/2020. São agentes de todos os turnos, inclusive que estavam de férias, e de toda a GCM – Canil, Ronda Ostensiva Municipal (Romu), Policiamento Comunitário, Patrulha Maria da Penha e Patrulha Ambiental – com apoio de membros do Departamento de Fiscalização de Posturas.

Antes de saírem, houve uma preleção em frente ao Paço Municipal com o prefeito Rodrigo Ashiuchi, o comandante Sérgio de Assis Andrade e o diretor jurídico José Serafim da Silva Júnior. Eles repassaram à tropa as determinações dos decretos municipais, mais especificamente a suspensão de todas as atividades e serviços privados não essenciais, a exemplo de academias, clubes, shopping centers, cinemas, teatros, restaurantes (exceto para entrega), lojas de conveniência de postos de gasolina, call center e comércio em geral.

Assis afirmou que percebe o respeito às determinações e grande parte. Mas a população também pode ajudar, denunciando pelo telefone 153. Podem continuar funcionando normalmente: farmácias e drogarias, açougues e casas de carnes, mercados e supermercados, pet shops, padarias (sem consumo em balcão), quitandas, lojas de produtos de limpeza e descartáveis, postos de combustíveis, oficinas mecânicas e clínicas e consultórios médicos e odontológicos.

O prefeito destacou que se trata de uma atitude preventiva, com o objetivo de fazer a orientação devida e assim ajudar a salvar vidas. A expectativa é de diminuir os impactos na cidade e fazer com que menos pessoas fiquem doentes. Ashiuchi reforçou que a missão agora é cuidar da população, abordando cada um como se fosse um familiar. Para ele, a GCM vai fazer a diferença na vida de muita gente porque é um dos piores momentos que a humanidade enfrenta em sua história. O prefeito finalizou dizendo que somente na união será possível superar essa fase e encontrar um cenário muito melhor lá na frente.